Armário aberto e cerca derrubada

Esta é a verdade nua e crua. O armário foi aberto e a cerca foi derrubada. Os homossexuais abriram o armário e dele saíram. Deus derrubou a cerca e os deixou à vontade. Com o armário aberto, os homossexuais tornaram-se visíveis. Com a cerca derrubada, andam de mãos dadas, beijam-se em público, casam-se, adotam filhos, prostituem-se, escrevem livros, publicam jornais, organizam marchas e passeatas, aparecem nas novelas, compram agências de viagens, fazem turismo, gastam dinheiro a rodo, exigem respeito de todos em nome dos direitos humanos e mudam as leis.

A expressão “sair do armário” pertence ao vocabulário gay e significa assumir publicamente a homossexualidade (outing, em inglês). A expressão sinônima, porém, mais forte, seria “derrubar (ou chutar) a porta do closet”, isto é assumir-se com estardalhaço (Aurélia, a dicionário da língua afiada, p. 119).

A idéia da cerca derrubada é uma figura bíblica que aparece em Isaías. Certo homem tinha uma vinha na encosta de uma fértil colina. Então ele cavou o chão, tirou as pedras e plantou as melhores mudas de uvas. Para evitar a entrada de animais que poderiam danificar a plantação e de ladrões que poderiam furtar as uvas, o dono da vinha construiu um muro ao redor. Para aumentar a segurança, levantou uma torre no centro do terreno, na qual colocou um vigia. E, na certeza de que todo o esforço seria compensado, fez também o tanque onde deveria espremer as uvas e depois fazer o vinho. Ele esperava com justa razão colher uvas de primeira qualidade, mas a vinha só deu uvas azedas. Espantado e decepcionado, o homem perguntou aos seus botões: “Podia eu fazer pela minha vinha mais do que eu fiz?”. À vista do fracasso total, o dono da vinha toma uma decisão dramática: “Vou derrubar o muro que cerca a vinha e ela passará a ser pasto para o gado” (Is 5.1-7).

Na pequena parábola em forma de canção, o proprietário e a vinha dizem respeito a Deus e a seu povo. Porque os judeus não valorizavam nem usufruíam da providência divina, rebelando-se acintosamente contra ele, Deus mesmo derrubou a cerca protetora e os deixou perigosamente soltos. O mesmo acontece hoje com toda pessoa ou grupo que assume posição contra o Senhor na esperança de fazer “em pedaços as suas algemas” (Sl 2.3). Deus então deixa os homens à vontade para se corromperem, para se complicarem, para correrem eternamente atrás do nada, para fazerem uma guerra após a outra, para se matarem, para tornar o planeta inabitável e também para trocarem “suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza” (Rm 1.26).

A cerca derrubada está intimamente relacionada com o armário aberto. É consequência do chute dado na porta do closet!

Fonte: Revista Ultimato

Anúncios

Fique a vontade para deixar seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s