Distribua a graça de Deus em seu lar, sem economia

“Porque todos nós temos recebido da sua plenitude e graça sobre graça.” (João 1.16)

Não é maravilhoso e tranquilizador saber que Deus é um Deus de graça? Porém, essa graça que Ele nos dá não é para ser guardada como reserva pessoal. 1 Pedro 4.10 diz que devemos ser “… bons despenseiros da multiforme graça de Deus”. Mas o que é um despenseiro? Os médicos e as enfermeiras, por exemplo, despensam remédios aos pacientes dando a cada um a dose exata. Alguns precisam de mais e outros de menos, conforme a necessidade individual.

Não existe um lugar mais importante para “despensar” – ou utilizando uma palavra mais comum – transmitir essa graça, do que nos nossos lares, com o nosso cônjuge.

Transmitimos a graça de Deus quando amamos incondicionalmente – Deus nos ama com amor incondicional. Ele não diz: “Eu amarei você se…” ou “Eu amo você porque…”, ou ainda: “Eu amo você quando…”. Não, Deus diz: “Eu amo você! Ponto final. E nada pode separá-lo(a) do meu amor”.

Este é o tipo de compromisso que precisamos adotar em nosso casamento. “Eu amo você na riqueza e na pobreza, na doença e na saúde. Eu o(a) amo mesmo quando você não é muito amável comigo e não faz nada para merecer o meu amor. Em outras palavras, eu amo você com o amor ágape de Deus”.

Eu sei que não é nada fácil amar assim, mas “… o amor de Deus é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo.” (Romanos 5.5). E é com esse coração, cheio do amor de Deus, que devemos amar o nosso marido ou esposa.

Transmitimos a graça de Deus quando perdoamos completamente – A parábola do credor incompassivo, implacável, sem compaixão, em Mateus 18, ensina que devemos perdoar as ofensas dos outros por causa da dívida ENORME da qual Deus nos perdoou. Nunca podemos esquecer que “… onde abundou o pecado, superabundou a graça”.

Meu marido sempre ensina em seus seminários para casais, que existem três fases capazes de salvar qualquer casamento: “Eu estava errado(a). Por favor, me perdoe. Eu amo você”. Precisamos confessar os nossos pecados uns aos outros para sermos curados. Em Efésios 4.26, o apóstolo Paulo afirma que não devemos deixar o sol se pôr sobre a nossa ira. Precisamos cuidar, diariamente, das pequenas coisas que podem afetar as nossas atitudes e ações em relação à pessoa que amamos.

Transmitimos a graça de Deus quando falamos bondosamente – Em Lucas 4.22 lemos que “Todos… se maravilhavam das palavras de graça” que saíram da boca de Jesus. E Paulo ensina em Efésios 4.29: “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim transmita graça aos que ouvem”.

Lembro-me bem quando, anos atrás, uma de minhas filhas me disse: “Mãe, não é tanto o que a senhora falou, mas a maneira como falou”. Devemos considerar tudo. Qual o tom de voz que usamos? Qual a expressão do nosso rosto? Quais são os gestos que fazemos?

Não seria estupendo se existisse um batom que um dos elementos de composição fosse a graça, que a gente pudesse aplicar nos lábios pela manhã e que tivesse duração comprovada durante 24 horas? Por certo, muitos problemas nos lares desapareceriam.

Um recado final do nosso Deus: “…crescei na graça.” (2Pedro 3.18)

Judith Kemp é esposa do Pr Jaime Kemp, mãe de três filhas e avó de três netos. É autora de vários livros dirigidos à mulher e jovens. Viaja com o marido ministrando cursos para a família. Fonte: Lar Cristão

Anúncios

Fique a vontade para deixar seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s