Projeto AMIGOS

Somos um grupo de voluntários com o propósito de reunir pessoas envolvidas com a obra missionária, visando à promoção de ações sociais.

Dicas para Evangelismo

em 1 de novembro de 2014

Sempre batem pessoas em nossas portas, dizendo ser emissárias da Verdade. Quando tais movimentos não usam a Bíblia e nem a reconhecem como autoridade, fica fácil refutá-los. Contudo, nas últimas décadas, vários movimentos têm usado as Escrituras como “livro texto”. Este uso sem compromisso com o contexto confundiu a muitos que se deixaram envolver pelas divagações das seitas ou dos movimentos pseudocristãos.

Trataremos neste texto dos questionamentos mais comuns de diversos movimentos que citam a Bíblia, mas desrespeitam seu contexto, usando versículos isolados que nada dizem em favor daquilo que estão afirmando e do que crêem.

As Testemunhas de Jeová (TJs) dizem que apenas 144 mil vão para o céu. Como demonstrar biblicamente a verdade?

As TJs estão longe de entender a doutrina da salvação, pois acham que a salvação e a justificação serão usufruídas apenas por 144 mil e que haverá tanto uma segunda classe de salvos quanto uma segunda oportunidade para milhares que ressuscitarão durante o milênio. Elas precisam primeiro aprender o que é salvação e os assuntos incluídos como, por exemplo: justificação pela fé, redenção, adoção, etc.

Em Romanos, capítulo 10, o apóstolo Paulo nos mostra que a base da salvação está em crer com o coração; crer em quem? Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo (Romanos 10:9). A base da salvação é a fé em Cristo Jesus, não havendo acepção de pessoas. Não é apenas para um grupo seleto, especial e específico de apenas 144 mil (At 10.34-44). O grupo mencionado em Apocalipse não se refere à salvação celestial.

Sabemos que o pacto, aliança ou testamento feito através de Moisés com Israel foi uma sombra, ou figura da realidade, que é Cristo. Naquela ocasião, somente dos que eram capazes de sair à guerra contou-se mais de 600 mil homens (talvez o número total ultrapassasse a 2 milhões); este mesmo número participou da Páscoa e também sobre este povo foi aspergido o sangue do concerto (Êx 24.1-8). Se o sangue de animais, que era sombra de Cristo, validou o Antigo Testamento sobre todo o Israel, perguntamos: Será que o sangue do Senhor Jesus Cristo, a realidade, a base do Novo Testamento, salvaria apenas 144 mil? Não! O alcance do sacrifício do Senhor Jesus abrange a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que crêem no seu nome (Jo 1.12). Além disso, o relato do livro de Atos nos indica que milhares, somente nos tempos apostólicos, abraçaram a fé cristã!

• A salvação é baseada unicamente em aceitar a obra sacrificial feita por Jesus Cristo, pois é o único Salvador – At 4.12; Rm 10.9-10.

• O Antigo Testamento é sombra do Novo Testamento; a realidade é Cristo Jesus. Se os sacrifícios de animais podiam purificar todo o Israel — somente porque era sombra — a realidade, a Nova Aliança em Jesus Cristo pode salvar tantos quantos crerem em seu Nome; portanto, um número ilimitado, como as areias do mar — (Jo 1.12).

• Se apenas 800 pessoas por mês cressem no Evangelho, em 30 anos no período apostólico — já teríamos 144 mil salvos.

• O livro de Atos demonstra que MILHARES creram no Evangelho! Apocalipse, capítulo 22, estende o convite à “quem quiser tomar de graça da água da vida”. A mesma água que o Senhor Jesus ofereceu à mulher samaritana! (Jo 4.14).

Quando evangelizo pessoas que são espíritas, elas costumam dizer que as palavras de Jesus “Na casa de meu Pai há muitas moradas…” refere-se a outros mundos, onde continuam a reencarnar. Como responder?

O ensino da reencarnação implica em tremenda injustiça. Como pode alguém sofrer por pecados que cometeu em outra vida, dos quais não se lembra? Como pode “crescer” espiritualmente se não lhe são dadas às chaves para mudar-lhe o sofrimento? A doutrina cristã, diferente de qualquer outro seguimento religioso, dá o poder para a restauração em uma nova vida, agora mesmo! Vá e não peques mais (Jo 8.11) é a virtude que temos em Cristo Jesus. E isto é possível, pois Ele vive! Sua palavra é testemunhada na vida cristã.

Em Hebreus 9.27 lemos: E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disto o juízo, temos aqui um resumo da realidade: vida, morte, ressurreição e juízo; não há lugar para reencarnação. Além disso, temos uma promessa: nenhuma condenação há para os que estão em Cristo (Rm 8.1).

Em João 9 encontramos uma pergunta dos discípulos: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. Nem o cego havia pecado, nem seus pais, para que nascesse cego. Não há lugar ns Escrituras para a reencarnação, antes, elas ensinam a ressurreição (João 5.28).

Quanto às moradas, sua localização é nos céus — na imediata presença de Deus — e não nos planetas ou no universo físico. No arrebatamento e na ressurreição teremos corpos celestiais e deste modo ali habitaremos (1 Coríntios 15.42-58). Portanto, o Senhor Jesus assegurou aos seus discípulos um lugar para todos eles, porquanto haveriam de morar em sua companhia.

Devemos ajudar o espírita ou espiritualista a crer na obra salvadora de Jesus Cristo. Decerto a pessoa que estamos evangelizando conhece o Evangelho pelo menos de ouvir falar e assim podemos perguntar “O que o está impedindo de crer que Jesus Cristo é Senhor e Salvador?”.

Geralmente, as pessoas ouvem falar do Evangelho, mas não fazem uma pesquisa pessoal. Se estatisticamente poucos cristãos já leram toda a Bíblia, dificilmente quem estamos evangelizando já o fez. Incentive a pessoa a ler, inicialmente o Evangelho segundo João, e demonstre como as profecias messiânicas registradas em Isaías e outros livros do Antigo Testamento apontam para Jesus o Cristo ou Messias.

• Mostre passagens bíblicas que ensinam à ressurreição. Jo 5.28-29; 1 Co 1520-26.

• Os que crêem na reencarnação acham que é um meio para pagar os pecados e, assim, melhorarem seu destino. Explique que esta doutrina não é justa, como pode alguém pagar aquilo de que não se lembra? A própria justiça comum não pune quem, comprovadamente, perde a consciência! — Hb 9.27-28.

• Crer no Senhor Jesus nos dá convicção do pecado e nos leva ao sincero arrependimento. A nova vida em Crista nos dá poder sobre o pecado e uma nova relação tanto para com Deus como para o próximo — Jo 16.8-11. Leia para a pessoa o Evangelho de João, capítulo 9 e esclareça a pergunta dos discípulos. O enfoque do Senhor foi à obra de Deus para com o homem.

• Convide a pessoa a conhecer mais sobre a Graça que há em Crista Jesus — Rm 1.16.

Fonte: Revista Defesa da Fé – Fevereiro de 200 / Imagem: verbodavida.org.br

Anúncios

Fique a vontade para deixar seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: